Skip to content
Antecipação de recebíveis: o que é e como fazer

O que é a antecipação de recebíveis e como fazer na sua empresa?

A antecipação de recebíveis é uma ótima forma de pagar contas de curto prazo quando se está precisando de capital de giro em sua empresa. 

É necessário, claro, ter um planejamento e gestão para fazer a antecipação de recebíveis para não prejudicar a empresa já que essa é uma ação totalmente ligada ao fluxo de caixa. 

Vamos descobrir juntos o que é a antecipação de recebíveis, qual o momento certo de recorrer a ela e a melhor forma de utilizá-la sem prejudicar a saúde financeira da sua empresa.

 

O que é antecipação de recebíveis?

A antecipação de recebíveis é um recurso onde a empresa permite adiantar o recebimento de valores que só chegariam a ela mais para frente. 

Isso significa que, por meio desta operação, ela pode receber referente às vendas feitas a prazo, parceladas, cheques e em carnês antes da cobrança ser feita ao próprio cliente.

Com a antecipação de recebíveis, os valores referentes à essas operações de compra e venda são embolsados pela empresa de uma só vez. 

Essa é uma alternativa a ser usada em curto prazo, já que com o dinheiro em caixa a empresa pode cobrir despesas mais urgentes do seu negócio evitando, assim, a formação de dívidas que podem se tornar um problema no futuro. 

Por exemplo, digamos que você tenha uma pequena fábrica de calçados e que tenha feito uma grande venda que foi parcelada em 8x, sendo que o primeiro pagamento será apenas em 45 dias. Nesse caso, dependendo de como esteja a situação financeira da sua fábrica, esse parcelamento pode resultar em menos recursos no curto prazo e em capital de giro insuficiente para pagar as despesas. 

Assim, é possível recorrer à antecipação de recebíveis para obter, de uma vez só, os valores a serem pagos pelo cliente. Dessa forma, esse dinheiro poderá ser usado para pagar contas e compromissos fiscais.

 

Vantagens da antecipação de recebíveis:

A empresa recebe um dinheiro que seria dela de qualquer forma. Nessa modalidade, ela paga juros menores do que se contratasse um empréstimo, por exemplo. 

Com juros menores, acaba sendo mais tranquilo e válido para as finanças da empresa e do próprio empreendedor.

Essa antecipação costuma ser mais fácil de contratar e oferecer maior segurança à instituição financeira do que um empréstimo para o capital de giro, o que ajuda sobretudo as micro e pequenas empresas. 

 

Antecipação de recebíveis ou empréstimo?

É preciso compreender a diferença entre antecipação de recebíveis e empréstimo. Isso é fundamental para que você escolha a opção mais adequada ao seu negócio.

Em toda oferta de crédito, a instituição financeira faz uma avaliação do risco do contratante não pagar sua dívida.

No empréstimo, o gestor recorre à instituição financeira para embolsar um dinheiro que não é dele. Como o próprio nome diz, ele pega emprestado um valor que, depois, deve ser devolvido com taxas de juros. A dívida pode ser paga em uma única vez ou de forma parcelada.

Nesse caso, a instituição financeira avalia a nota de crédito do solicitante e determina se concederá o empréstimo e com qual taxa de juros o fará.

A desvantagem é que, ao final, a empresa terá pago um valor muito mais alto do que embolsou devido aos juros, que são proporcionais ao período estipulado para a quitação dos valores e relativos ao grau de confiabilidade da empresa contratante.

Já na antecipação de recebíveis, a empresa embolsa um valor que será dela em breve. E nesse caso, o risco de inadimplência é muito reduzido.

Então, para a instituição financeira, a avaliação é de que o cliente terá condições de pagar pelos valores tomados. Para o contratante, o resultado são juros e taxas inferiores.

 

Mas qual dessas modalidades é a melhor opção? Na prática, aquela que tiver o menor custo para a empresa.

De um modo geral, a antecipação de recebíveis dá mais segurança às duas partes. Por um lado, o empreendedor mostra que tem condições de quitar a dívida. Por outro, a instituição financeira tem condições de cobrar menos pelo risco.

Trata-se, portanto, de um recurso rápido, que pode ser utilizado em casos de emergência.

 

Sempre que possível, opte pela antecipação de recebíveis, porque ela sai por um preço mais baixo.

 

Já o empréstimo, por sua vez, é mais arriscado por envolver taxas de juros mais altas. Os riscos do empreendedor comprometer seu fluxo de caixa são maiores, já que não há necessariamente entradas de recursos programadas para a quitação.

Dessa forma, sem uma boa gestão, o empréstimo pode se tornar uma verdadeira dor de cabeça para o gestor. Então, ele precisa ser evitado sempre que possível.

Sendo assim, o empréstimo é uma opção para quem não tem valores a receber, mas precisa pagar alguma conta da empresa. Também pode ser uma opção para quitar dívidas com juros ainda maiores.

Mas cuidado: a contratação do serviço só deve ser feita se o empreendedor tiver certeza que conseguirá pagar a dívida.

Também é possível citar o financiamento para a expansão dos negócios ou para a criação de um novo empreendimento. A compra de uma máquina cara, por exemplo, pode ser feita por meio de recursos emprestados, que vão se materializar em uma fonte de faturamento.

Antes de escolher o melhor recurso para sua empresa, lembre-se de avaliar todas as condições oferecidas pela instituição financeira, para não ter surpresas ruins mais tarde.

 

Quando recorrer à antecipação de recebíveis

Basicamente, o gestor deve recorrer à antecipação de recebíveis quando não tem capital de giro suficiente para manter as obrigações diárias do negócio. Nesse caso, o recurso cobre as despesas mais urgentes para que a empresa não interrompa a produção nem deixe de pagar fornecedores e funcionários.

Muitas vezes, pequenas empresas fecham negócios com clientes grandes, que pedem prazos maiores para pagamento. É possível, em situações assim, que o vendedor veja uma oportunidade de lucros, mas não tenha uma situação financeira tão tranquila e vislumbre dificuldades por não receber imediatamente pelos seus produtos.

Nesse caso, a melhor estratégia é traçar um plano adequado, que permita entender quanto dinheiro a empresa precisa para manter tudo em ordem até o recebimento. Assim, o empreendedor tem a certeza de que precisa (ou não) tomar crédito.

É preciso salientar que esse tipo de situação deve ser eventual. Recorrer à antecipação de crédito com frequência é um sinal de que você não está fazendo o planejamento financeiro e a gestão do fluxo de caixa de maneira eficiente. E nenhum negócio sobrevive por muito tempo sem essas duas ações.

Não conte com esse dinheiro como se ele fizesse parte parte do caixa todos os meses para evitar ter que contratar o recurso com frequência.

Sendo assim, a antecipação não deve fazer parte do seu planejamento mensal, e sim ser considerada um suporte eventual para a sustentação de suas atividades.

Separar as contas pessoais das contas da empresa é algo primordial na gestão de seu empreendimento. Muitos empreendedores que estão iniciando seus negócios cometem o erro de misturar ambas as contas e acabam prejudicando as finanças de seu negócio.

É essencial não contar com o dinheiro da antecipação para pagar dívidas individuais que não dizem respeito ao empreendimento.

 

Como fazer a antecipação de recebíveis

O primeiro passo para fazer a antecipação de recebíveis é analisar taxas de juros cobradas pelas instituições financeiras referentes à operação. Faça um mapeamento das condições oferecidas por cada uma, de modo a identificar a situação mais benéfica para o seu negócio.

É importante saber que, para conceder a antecipação, a instituição analisa o histórico do cliente e a solidez da empresa, a fim de verificar se há casos de inadimplência ou restrições no nome.

Muitas delas apresentam algumas tarifas e taxas para empresas no próprio site. Esses números podem servir de referência para que você selecione, entre elas, as que tendem a cobrar menos pelo crédito.

Para uma análise mais precisa, vale a pena conferir o site do Banco Central, que traz relatórios mensais com as taxas de crédito cobradas pelas instituições financeiras do país. No portal, você pode já selecionar o tipo de crédito desejado pela empresa.

Não se apegue demais a esses números. É necessário conferir de perto qual é a realidade das taxas, pois elas podem variar de acordo com a análise de crédito da sua empresa e de outros fatores que não constam no relatório do Banco Central.

Por isso, converse com o gerente da sua conta, se o seu banco atual estiver entre aqueles com taxas mais baixas, melhor ainda, pois você já possui um relacionamento com a instituição financeira e pode, assim, apresentar histórico de bom pagador mais facilmente.

 

Como usar a antecipação de recebíveis

É muito perigoso antecipar um recebível sem ter uma ideia muito clara do que você vai fazer com o dinheiro. Por isso, planejamento é a palavra-chave.

Esse planejamento deve abranger os meses posteriores à antecipação. Afinal, você não poderá contar com o dinheiro que seria recebido mais tarde.

Dessa forma, faça uma projeção do caixa nos meses seguintes para ter certeza se o montante antecipado não fará falta. 

Nesse momento as planilhas são grande aliadas para que tudo seja anotado. Nós, da v360 podemos te ajudar, na nossa plataforma você terá tudo na palma da mão, desde a parte tributária até contas a pagar. Fale com nosso time e vamos crescer juntos.